Autoconhecimento é Retirar Conteúdos do Inconsciente

Por: Ricardo Chioro

Autoconhecimento é retirar memórias e percepções do inconsciente e trazer a consciência.

O inconsciente é a região da mente que não temos consciência.

Sim, existe uma região da mente que não temos consciência e é a maior parte dela.

Traumas, repressões, informações de nossa personalidade que vão contra a auto-imagem ideal, entre muitas outras vão para essa região oculta da mente, como uma defesa, e apesar disso parecer algo bom acaba defasando nossa felicidade e bem estar psicológico.

Não sabemos o que está no nosso inconsciente e o quanto isso nos defasou, pois é algo oculto, só essas informações saindo desse lugar velado podemos ter consciência de que estavam lá. 

Muitas coisas não sabemos sobre nós mesmos pois são inconscientes, mas existem em nossa mente, e tornar consciente é aprender sobre elas, por isso o termo: autoconhecimento.

Apesar de conteúdos ocultos estarem na nossa psique são desconhecidos para nós, por isso o termo conhecer sobre nós mesmos é correto.

Mas é importante que se diga que nem todo o inconsciente é feito de material reprimido, como por exemplo o Inconsciente Coletivo, mas não convêm explicá-lo neste texto.

Jung apresenta o conceito de Sombra, que não é a sombra do nosso mundo físico, tem o mesmo nome, mas é o centro do material reprimido.

A sombra representa aquilo que consideramos inferior em nossa personalidade, e também aquilo negligenciamos e nunca desenvolvemos em nós mesmos”. (Trecho do livro: Teorias da Personalidade de Fadman e Frager)

Enxergar essas coisas torna a vida muito mais natural e leve.

A medida que a sombra se torna mais consciente, recuperamos parte de nós mesmos previamente reprimidas”. (Trecho do livro: Teorias da Personalidade de Fadman e Frager)

Na medida em que nós aceitamos a realidade da sombra e dela nos distinguimos podemos ficar livres de sua influencia. Além disso, nós nos tornamos capazes de assimilar o valioso material que é organizado ao redor da sombra”. (Trecho do livro: Teorias da Personalidade de Fadman e Frager)

É indispensável aceitar a realidade da sombra e muito importante.

Trabalhar o autoconhecimento é sempre aumentar a felicidade, sentimentos bons que vão sempre nos acompanhar e impedimentos que nos atrapalham a obter o que queremos.

Não conheço uma pessoa que depois de um processo de despertar da consciência diga que ele não foi bom.

Trabalhem o despertar interior e descubram que a vida é boa, ótima.

O despertar interior inclui aquisição de conhecimentos a respeito de si mesmo e do mundo que estavam velados na mente, podemos pensar que por isso pessoas de mais evolução tem conteúdos psicológicos menos ocultas do que pessoas de menos espiritualidade, mas não é bem assim porque a repressão depende muito das vivencias da vida, da educação, influencias, sofrimentos, traumas e etc.

Não dá para medir a evolução a partir de ter menos conteúdo inacessível ao consciente.

A sabedoria se adquire tendo conhecimento dessas memórias e percepções veladas que tanto falamos, a transformação também.

É importante que o despertar da vida depende de você.

A felicidade é uma experiência ligada à sabedoria.

Libere seu coração e deixa que ele construa o seu destino. Sua vida muda quando você muda.” (Mestre Yaco)

A realização de nossos sonhos é possível com o despertar interior, é um trabalho que nos destrava para conseguirmos o que queremos na vida.

Agora vou abordar o Self, se você não entende-lo tudo bem, mas é sempre bom ler sobre o crescimento psicológico, aumenta nossa evolução e faz bem.

O Self é a soma do consciente com o inconsciente, o centro desta totalidade.

O trabalho de despertar da consciência atua na unificação de polaridades, unificação do inconsciente com o consciente.

Religiões orientais descrevem o crescimento psicológico como unificação e integração.

No processo de despertar interior o consciente fica vinculado ao Self, de acordo com Jung isso é mais importante que adquirir novos conhecimentos.