Deturpação da Palavra Amor

Por: Ricardo Chioro

Em primeiro lugar é importante entendermos que amor é um conceito subjetivo, difícil de explicar, de entendermos o que é.

Podemos sentir amor, mas podemos não saber que estamos sentindo devido a falta de definições que o classificam.

Em segundo lugar também é importante entendermos que a região inconsciente da nossa mente é gigantescamente maior que o consciente, ou seja: a região que temos consciência, que sabemos das coisas.

Por exemplo: quando vemos uma pessoa e não gostamos dela sem saber por que, isso é muito comum, mas existe uma razão para tudo, isso ocorre porque a região da nossa mente que não é consciente captou devido à postura, tom de voz, energia ou vivencia de vidas passadas coisas nessa pessoa que não gostamos.

Vamos nos ater em captação de postura, tom de voz e energia.

A postura, jeito de se mexer, tom de voz mostram coisas sobre essa pessoa, suas emoções e sensações, e é avaliando isso que os psicólogos conseguem fazer diagnósticos e tratamentos, juntando isso com as informações passadas pelo paciente.

A grande maioria da população do planeta terra é de baixa espiritualidade, não gostam do amor, exceto em alguns poucos momentos e não sabem disso, confundem amor com posse e etc.

Pessoas espiritualizadas também podem confundir amor com posse.

Muitas pessoas levam suas crenças com o ego, buscando a superioridade espiritual, ser melhor que os outros por motivos espirituais, isso é ego, não tem uma energia boa.

Muitas pessoas se usam de exemplo para querer se mostrar melhor que os outros, falam: eu amo, faço caridade, para mostrar que faz mais que os outros.

Caridade é uma característica do amor.

Mas isso que falamos acima de querer se por melhor que os outros não é amor e caridade de verdade, mas até mesmo pessoas espiritualizadas fazem isso devido a serem muito educadas no ego e terem pouca auto-estima.

Quando alguém fala sobre o amor dessa forma, se pondo como superior, o inconsciente do ouvinte capta a postura, tom de voz e até a energia de quem fala isso, que para quem não gosta dessas coisas parece algo desagradável.

Assim que a pessoa diz: eu amo ou fala coisas relacionadas a ela no amor, mas a postura, tom de voz e energia que o inconsciente do ouvinte capta é sobre o ego, é lógico pensar que as sensações trazidas nessa fala devida as captações do inconsciente são referentes ao sentimento elevado, porque isso ocorreu justamente no momento em que a pessoa falava sobre essa emoção.

Claro que é inconsciente, mas na fala de amor, mas por traz disso existe orgulho, vaidade, posse e até mesmo arrogância, a impressão que essa fala causa fica associado a esse sentimento elevado, então se pensa que esse sentimento é igual impressão ruim que teve, fica algo ruim associado a ela.

Expressamos o que sentimos quando falamos de algum assunto. Então quando falamos de algo bom para agente, quando aquilo é uma referencia positiva, passamos aquilo como algo bom.

Ninguém fala do final de semana ótimo que passou da mesma forma que aborda o velório de um conhecido, pois sim, o nosso emocional influencia nossa fala, e a parte inconsciente de nossa mente capta isso, as vezes a consciente também.

Imagina a situação em que a pessoa fala de amor, mas está querendo dizer que você não pratica o amor e ela sim, no ego dela pode estar querendo usar você de escada para se sentir mais espiritualizada que você, então esse sentimento elevado acaba tendo a impressão de sua baixo-auto-estima, sua inferioridade, causando uma impressão muito ruim, que foi o que você sentiu tendo referencia ao amor.

Toda essa situação pode ser agravada se a pessoa não tem boas referencias a palavra que é deturpada assunto de nosso texto, só vendo pessoas com emoções negativas repetindo este dizer.

No nosso mundo faltam exemplos.

Existem pessoas boas que se influenciam pelo ego das ruins, ainda os que sabem da pureza e a mantém, mas são uma minoria, por isso nem todo mundo que repete a palavra que é deturpada assunto de nosso texto se contamina por sensações ruins, depende da história de vida e espiritualidade de cada um.

É importante buscarmos a evolução espiritual, o nirvana, mas sem usar isso para se sentir superior aos outros.

É buscar o autoconhecimento sem fazer comparações.