Moises, o Êxodo e o Ego

Por: Ricardo Chioro

Quando uma pessoa coloca sua religião como superior ou melhor que as outras, ela não faz isso movida pelo coração, espiritualidade, self, mas sim pelo ego.

No Misticismo e Esoterismo se estuda muito as diversas religiões, entre elas se dá muita importância para a iniciação. Os lugares famosos de iniciação na terra são Tibet, Índia e o Egito Antigo. 

Do Egito Antigo se estuda os Deuses que fizerem parte da sua religião e sistema de iniciação do passado, não só ele, mas no Tibet e Índia também faz parte de sua crença e iniciação os Deuses.

É comum também pelo influencia Cristã que exerce sobre o mundo, dar muita importância para a Bíblia.

Também se estuda e se dá importância ao Cristianismo no Misticismo e Esoterismo, algumas escolas e religiões místicas também, pois são Cristãs.

Quando Moises subiu a montanha e falou com o criador de tudo, na Bíblia, nos ensinamentos Cristãos, dizem que Deus mandou as sete pragas no Egito porque os egípcios cultuavam os Deuses, de acordo com esse livro do Cristianismo só existe uma divindade.

Então podemos perceber uma contradição, porque se os Deuses são inexistentes para que estudá-los?

Mas os Deuses não são inexistentes, e estudá-los nos ajuda a nossa espiritualidade.

Os Deuses são consciências criadas por Deus que tem as qualidades do criador, regem o universo e recebem nas religiões, nomes, humanizações e mitologias.

Um Deus em uma religião é o mesmo Deus em outras, com nomes, mitologias e humanizações diferentes.

Seres iluminados também são considerados Deuses em algumas religiões, estes são humanos mesmos.

No Espiritismo se diz que a Bíblia foi Editada, e se ouve manipulação, nada impede que coisas tenham sido acrescentadas como retiradas deste livro sagrado.

Para o Catolicismo era interessante que outras religiões serem tidas como não recomendadas, a ponto de Deus mandar pragas, criando o medo, a aversão, pois quanto mais caminhos religiosos fossem vedados só sobraria o seu, tendo mais poder e dinheiro. 

É interessante vermos como até hoje a cúria da igreja vive no extremo luxo.

A Bíblia é a junção de diversos livros, formando uma obra grande, entre eles Êxodo é o nome do livro que conta a história de Moises.

No filme Êxodo que saiu no final de 2014 e inicio de 2015, é diferente da história da Bíblia, onde Deus manda as pragas no Egito para libertar os escravos hebreus, e não por causa da crença dos egípcios.

Nesse filme também Moises não fala diretamente com Deus, mas sim com uma criança, o que nos lembra a idéia de mediunidade.

Hollywood está mudando algumas histórias da Bíblia, tornando filmes mais interessantes, e neste caso, mais humano.

A história do Êxodo acaba estimulando o ego porque mostrar a crença, geralmente de quem lê como verdadeira, e a outra como falsa, a ponto do próprio Deus em pessoa condená-la e castigá-la, de tão certa que seria a crença dos Cristãos.