O que é Animismo – Erro na Mediunidade

Por: Ricardo Chioro

Eu cursei dois anos a faculdade de Psicologia, e acho que dá para entender bem o animismo com algumas explicações psicológicas.

Animismo é o erro na mediunidade.

Diferente do que muita gente pensa que na mediunidade o espírito tem controle absoluto da mente do médium, como na incorporação o espírito tomasse controle absoluto do corpo do médium, ou na psicografia a entidade consiga ditar qualquer informação, não é isso que acontece.

Na mediunidade a entidade passa informações e comportamentos emanando sua energia para o médium.

Na energia contem informações e ações.

Na mediunidade a mente do médium não se vai deixando o espírito com o corpo dele a vontade, podendo trabalhar a vontade, mas a energia que os espírito manda para o encarnado que faz a comunicação com os espíritos, vai dos chakras passando pelo mental do encarnado, então o psicológico do encarnado faz parte do processo mediúnico.

Eu já ouvi o termo que na mediunidade tem muito do médium.

Certa vez um espírito de muita luz incorporado em um médium de muita pouca evolução, quando tentava passar muito carinho para o atendido ficava de um jeito um pouco esquisito, pois o jeito frio do médium aparecia, fazendo movimentos de uma forma um fria, mas falava palavras muito amáveis e carinhosas.

Na mediunidade é difícil de um espírito passar um conhecimento que vá contra a visão de mundo do médium, podemos dar uma explicação baseada na psicologia: a nossa mente é feita para segurar os conteúdos (conhecimentos, visão de mundo, traços de personalidade) que estão com ela, e se defende do que é diferente, para que não mude.

Se estudarmos na Psicanálise as defesas psicológicas são muito interessantes, existe uma série de defesas, então quando um espírito passa um conteúdo que vá contra a visão de mundo do médium dificilmente consegue, a mente não deixa vir esse conteúdo e prevalece a visão do médium.

Claro que na Psicanálise não é tratado o fenômeno mediúnico, mas aborda um mecanismo psicológico que existe para diversas coisas, como a inaceitação do que não podemos aceitar.

Imagine um médium que acredita que a rigidez seja o correto, o bom, seu psicológico não está preparado para aceitar a flexibilidade, conseqüentemente o espírito muito dificilmente vai conseguir se manifestar e ensinar a flexibilidade. Isso é uma dificuldade interior.

Assim sendo, quando alguém tem uma visão religiosa e uma alma usa esta pessoa para passar uma visão diferente, não consegue.

O Espiritismo surgiu através de quatro pessoas, Allan Kardec e mais três médiuns, todos eles eram cristãos, evangélicos e católicos, eles eram franceses, era a crença da França na época, não é a toa que o Espiritismo seja cristão.

Se um espírito com uma formação religiosa diferente do Cristianismo tenta se manifestar no Espiritismo, não consegue, pois para o espírita o Cristianismo é a realidade verdadeira, e a mente tenta manter o que já está nela, uma visão diferente poderia mudar a visão, ou até mesmo abalar a própria fé.

O espiritismo não é a única religião que tem mediunidade, tem o Esoterismo, a Umbanda, o Taoísmo, o Budismo Tibetano e etc. e essas crenças ou não são cristãns ou não são exclusivamente cristãns, as entidades não abordam Jesus como o centro da espiritualidade na terra e etc. só quando os médiuns tem uma formação baseada no Espiritismo, Catolicismo ou Protestantismo.

Os médiuns que fizeram o Espiritismo acreditavam em conteúdos evangélicos e católicos, e eles passaram para o Espiritismo, ouve influencia.

Os novos médiuns que são educados no Espiritismo também passam adiante a educação que aprenderam, porque faz parte de sua visão de mundo, a mente protege o que para ela é uma realidade.