Qualidade Divina da Evolução

Por: Ricardo Chioro

Quando falamos em evolução num sentido espiritual, é natural pensarmos em evolução espiritual, mas ela abrange não somente o lado da alma, mas todos, em todos os sentidos, pois o mundo físico também é criação divina, também faz parte da obra de Deus, e essa qualidade rege seu campo em todos os sentidos.

Evoluir é melhorar, passar para estagio melhor.

Quando estamos doentes precisamos evoluir nossa saúde.

Isso também é melhorar de vida em qualquer sentido.

No caso de uma obra assistencial, melhorar essa obra, melhorar a ajuda para as pessoas beneficiadas e etc.

Falamos que nossa sociedade é muito evoluída tecnologicamente, e é mesmo, essa melhora veio graças ao conhecimento e a geração, o conhecimento tendo as informação avançadas para que se pudesse criar coisas como geladeira, tv, maquina de lavar, medicamentos, procedimentos de cura e etc.

Lembramos que existem as qualidades divinas do conhecimento e da geração também, outras duas forças que reguem os universos.

Os homens que nascem com a influencia masculina da evolução e estão na espiritualidade são cordiais, corteses, falantes, criativos, imaginosos, elegantes e generosos.

Quando as mulheres estão na espiritualidade e nascem sobre a influencia feminina da evolução, são calmas, conselheiras, orientadoras, religiosas, emotivas e muito simpáticas.

Na negatividade os homens que nascem com a influencia masculina da evolução são prepotentes, autoritários, mesquinhos, vaidosos, desleais, intrigantes, vingativos, pedantes, bajuladores e mulherengos.

Na negatividade as mulheres que nascem com a influencia feminina da evolução são intratáveis, ríspidas, tagarelas, fuxiqueiras, vingativas e perigosas.

Nas mitologias a qualidade da Evolução Masculina Divina são as divindades: Caronte (grego), Osíris (egípcio), Obaluaiê (Africano), Taliesin (Celta), Enki (Sumério), Dumuzzi (Sumério), Ninzu (babilônio), Mimir (Nórdico) e Shou Lao (Chinês).

Nas mitologias a qualidade da Evolução Feminina Divina são as divindades: Nana (Africana), Persésfone (Grega), Maia (Grega), Hécate (grega), Shitala (Hindu), Hell (Nórdica), Carridwen (Celta), Ereshkigal (Suméria), Befana (Itálica), Baba Yaga (eslava), Madder-akka (Finlandesa) e Cailleach (Celta).