Valorizar a Própria Bondade sem ter Vaidade e Orgulho

Por: Ricardo Chioro

Existe uma diferença entre se valorizar (o que é muito importante) e estimular o ego.

Não existe mal em nós valorizarmos, isso inclusive é importante para auto-estima, e se nós não nos valorizamos e começarmos a fazermos isso desenvolvemos o autoconhecimento.

Melhorar a nossa auto-valorização também traz evolução espiritual.

Vaidade e orgulho são elementos do ego.

Quando a pessoa fica querendo mostrar para os outros que é bondosa, evoluída, isso provavelmente é algo do ego.

Quando a pessoa fica mastigando acontecimentos que mostram sua bondade, isso também é coisa do ego.

Por outro lado temos valorizar nossa bondade, mas não da forma que descrevemos acima, na verdade o que escrevemos nas linhas superiores não é auto-valorização.

Auto-valorização é da gente para agente mesmo, ou seja, fazer isso na nossa mente sem querermos mostrar para os outros o quanto somos bons.

Agente tem que reconhecer as coisas boas que agente faz, valorizar a nossa espiritualidade sem nunca procurar fazer comparações, procurar ser melhor ou pior que os outros, o ego quer sempre ser o melhor.

A vaidade e orgulho trazem a sensação da superioridade, por mais que não seja racional, isso é: não pensarmos em sermos superiores, mas mesmo assim a sensação existe, e normalmente ela é inconsciente.

O orgulho e vaidade normalmente são assim: inconscientes. Conhecê-los é autoconhecimento.

O autoconhecimento surge de conhecermos o que não sabemos sobre nós mesmos, o que está no nosso inconsciente.

Sim, é normal não termos conhecimento do nosso orgulho e vaidade, assim como muitas outras coisas.

Por isso é importante não buscarmos sermos mais bondosos, espiritualizados, evoluídos do que ninguém, mas sim cultivarmos nossa evolução por nós mesmos.

Existem pessoas mais bondosas e menos do que você, é uma realidade, mas você não deve querer ser melhor, se preocupar em ser superior, nem inferior, também é errado.

Se procurar ser superior é vaidade e orgulho, ser inferior significa falta de auto-amor e auto-estima, nenhum destes estados mentais e emocionais são bons, nem espiritualizados, são ilusões.

Sobre as boas ações e pensamentos que pratica na vida algumas pessoas dizem:

-Eu não faço nada, veja só: Madre Tereza que fazia muito.

Está completamente errado, está usando o outro de parâmetros e com isso não se valorizando.

Enxergar seu valor é algo espiritualmente bom, o que a pessoa está fazendo no exemplo de cima pode parecer algo bom, mas não é.

Se por um lado existe Madre Tereza, por outro existe quem seqüestra pessoas, põe no porão de sua casa e fica torturando até a morte.

Não use nunca os outros para medir suas atitudes, meça por você mesmo.

Não tenha os outros como referencia, valorize-se pelo que você é, sendo o que é.

É muito importante que você deixe de estimular o ego sem deixar de se valorizar.

Pratique o que estamos falando, isso além de trazer autoconhecimento vai facilitar na sua vida inteira estar em um estado psicológico que traz a evolução espiritual.