Caridade, o Quinto Passo do Nobre Caminho Óctuplo do Budismo

Por: Ricardo Chioro - Riath

(Inspirado pelos Mestres Ascensos)

O quinto passo do Nobre Caminho Óctuplo (um caminho que leva ao Nirvana e autoconhecimento) é ação de fazer o bem, a caridade, isso se consegue com quatro qualidades da luz, que são: compaixão, alegria, amor e equanimidade.

Também nesse quinto passo além das quatro qualidades existem as seis perfeições, que são: moralidade, paz, energia constante, concentração e sabedoria.

A sabedoria ajuda muito para sabermos como ajudar, dar bons conselhos e etc.

Todas essas qualidade que falamos não são centradas no ego, nem no eu, a não se que tenha orgulho ou vaidade por possuirmos essas faces do bem.

Ajuda muito o autoconhecimento paramos de colocar nosso ego sobre a espiritualidade, ou seja: não querer ser melhor ou pior do que qualquer pessoa, inclusive por motivos religiosos.

Segundo o Budismo nos importarmos em ser melhores, piores ou igual aos outros é orgulho, não devemos nos importar com uma qualificação perante os outros.

Se importar é sinal que seu ego ainda deseja uma qualificação, um lugar, quando só vem a levesa quando não se preocupar.

A forma de parar o orgulho e a vaidade não é alimentá-los nunca, qualquer alimentação elas voltam.

Isso não quer dizer que você não deve se valorizar, pois deve, porque isso não é ego se você não se importar nada em uma qualificação com relação aos outros.

Não percebemos muitas vezes que fazemos comparação com os outros, mas o autoconhecimento sim, é o caminho para nos libertarmos.

Se nos dedicarmos ao nosso autoconhecimento nos mostre a vaidade e orgulho, nos libertamos deles permanentemente.

A compaixão é ênfase no Budismo, ela não é uma atitude voltada para o ego ou a si próprio, mas é uma atitude voltada para o outro. O Budismo indica o caminho de estarmos em uma realidade que é maior que nós mesmos, além do eu.

Isso não quer dizer que vamos estar sempre desconectados de nós mesmos, mas existe uma forma de se voltar para si mesmo sem ser orgulho ou vaidade, mas por amor.

Todas as 10 qualidades que abordamos não são voltadas para si mesmo, mas nos levam em direção ao outro, o treinamento Budismo faz a isso, mas não devemos fazer de forma forçada, a conquista vai acontecendo à medida que nos auto-conhecemos.

Tentar mudar de forma forçada pode ser prejudicial, a mudança ocorre mesmo quando enxergamos o que não sabemos sobre nós mesmos, esse é o resultado das praticas como meditação, mandalas, mantras, fazer atitudes positivas e etc.

Então à medida que praticamos vamos desenvolvendo as seis perfeições e quatro qualidades imensuráveis.

O treino faz nos alegrarmos com a felicidade dos outros, com o que é bom para o outro, assim também teremos vontade de ajudar.

Existem pessoas que tem preguiça de fazer um trabalho que ajude os outros, isso não é sinônimo de desinteresse se a pessoa desejar o bem para outros, mas é muito importante se trabalhar para acabar com a preguiça porque ajudar é prazeroso.

Lama Padman Santem ensina que a generosidade inclui ficar feliz com as coisas que acontecem de bom com o outro, assim também ganhamos com o que aconteceu com o outro. Isso é uma coisa que pertence ao outro, mas que ganhamos sem que ele perca nada, assim o bem se multiplica.

Diversas coisas da luz são assim: compartilhadas só aumentam.

Dar conhecimento para os outros só multiplica o saber, você não perde nada e nem o outro, quem ensina ajuda a fixar na mente o ensinamento, quem recebe aprende algo que não sabia.

Ajudar o outro no seu autoconhecimento faz você despertar a consciência também, pois está praticando a caridade, amor, compaixão e etc. Essas coisas trazem evolução, já aquele a quem você está ajudando a despertar, pois você está agindo para isso.

Diversas coisas da luz não se perde quando é doada, só multiplica.

Não é tudo que é da luz que quando é dada se multiplica, por exemplo: quando alguém necessita de uma ajuda material e você auxilia com o dinheiro, esse dinheiro é gasto, mas você ganha autoconhecimento se realizar essa tarefa sem o ego, e também aumenta seu karma positivo.

Generosidade também é dar sem esperar nada em troca.

A moralidade aumenta com a generosidade, amor, compaixão, equanimidade e etc. isso é auto-desenvolvimento, é o resultado do autoconhecimento.

Textos para se Iluminar - Budismo - Buda - Dharma Cristão - Misticismo - Mandalas - Meditação - Todas Religiões são Verdadeiras - Ciência, Religião, Provas e Evidencias - Dharma na Umbanda - Sutras

  Novidades no Site                      Livro de Visitas