Espaço Infinito da Mente

Por: Ricardo Chioro - Riath

Um lama tibetano ensina que para desenvolvermos paciência devemos substituir a palavra paciência por espaço.

Então em vez de afirmar: eu tenho que ter mais paciência, diga: devo ter mais espaço. 

Isso porque segundo a Psicologia do Budismo Esotérico ensina que uma mente com espaço é mais equilibrada, disponível, paciente e disponível.

Ao contrario disso uma mente sem especo é irritada, instável e enxerga tudo como um obstáculo.

O lama que comentamos no inicio do texto ensina que yogues quando falam a palavra espaço imediatamente o vivenciam, isso é uma forma de afirmação e treinamento da mente, também é uma psicologia.

O que você pensa quando fala espaço? Qual imagem-mental vem a sua mente?

Bel Cesar, psicoterapeuta budista, diz que o que pensamos é no espaço sideral ou espaço interior, foi o que aconteceu comigo.

O Budismo Esotérico ensina entrarmos em contato com nosso espaço interior.

Em todos os nossos corpos espirituais como o astral, mental, búdico e etc. tem espaço interno.

Bel Cesar afirma que dentro de nós existe um espaço interno maior que nosso planeta, então nesse ponto já se torna algo transcendente e místico porque é ilimitado, vazio e qualitativo.

O espaço interno é infinito porque é para onde avançamos nossa consciência e isso nunca acaba, é um desenvolvimento infinito e cada vez estaremos em uma situação melhor, mais feliz, plena e bondosa.

“O espaço interno é um grande universo” (Bel Cesar)

Exatamente tudo existe dentro de nós, se aprendermos a descansarmos nesse espaço interior todas energias fluirão espontaneamente, e atingiremos uma consciência maior.

A humildade, abertura, receptividade e simplicidade nos ajudam a entrarmos em contato com o espaço interior, é um caminho para adquirirmos sabedoria sobre os fenômenos, vendo como eles são de verdade e atingindo a plenitude.

Bel Cesar ensina que ter abertura para si mesmo é a primeira atitude eu devemos tomar para essa abertura.

Abertura é reconhecer a nos mesmo como auto-sustentação.

O Budismo também ensina que somos dependentes uns dos outros, mas que em determinadas coisas podemos ser auto-suficientes, não em tudo.

Auto-segurança é a chave, termos segurança que não nos abandonamos.

Cultivando a simplicidade no nosso mundo interno, nos nossos pensamentos vamos perceber quando falta espaço-interno, então podemos nos ajudar a encontrá-lo de novo. É auto-percepção, contato comsigo mesmo.

Escrever sobre nossos sentimentos nos dá espaço interior, quando isso ocorre as lembranças ficam no controle do neocortex, uma região do cérebro que gera compreensão e sabedoria, ver as coisas como são.

O Lama Gangchen ensina a deixarmos nossos problemas em caixas, isso no nosso mundo psicológico.

Devemos usar diferentes caixas para cada problema, mas para deixá-las fora da gente.

Quando tiver saudade de um problema abra a caixa e olha para ele, e então não vão querê-lo, pois é ruim, negativo.

É importante desapegarmos dos problemas, nos distanciar, então perceberemos que os problemas não fazem parte da mente, então sentiremos o espaço.

Esse texto foi feito usando a fonte o texto da Bel Cesar, Psicóloga do Budismo Tibetano.

Textos para se Iluminar - Budismo - Buda - Dharma Cristão - Misticismo - Mandalas - Meditação - Todas Religiões são Verdadeiras - Ciência, Religião, Provas e Evidencias - Dharma na Umbanda - Sutras

  Novidades no Site                      Livro de Visitas