A Complexidade Energética que os Seres Ganham a Medida que Evoluem

Por: Ricardo Chioro – Ryath

(Texto Inspirado pelos Mestres da Luz)

Após a criação dos seres feita por Deus, eles tem uma regência energética muito simples, apenas são influenciados por um único Orixá, e vibram a energia dessa divindade todo o tempo, não vivenciando outras.

Por exemplo: em meditação acontece algumas vezes dos seres verem que tudo tem vida, assim ciência também concorda que tudo vive.

O ar tem vida, as moléculas, células, os minérios, os vírus e etc.

O ar vibra somente energias de ação e lei, ou seja: as energias de Ogum, já os minérios, de amor, já os vegetais, de conhecimento e assim por diante.

Já os seres humanos tem uma complexidade energética muito grande, já tem a regência dos catorze principais Orixás.

Cada Chakra que existe no ser humano é regido por um Orixá principal e todos os outros secundários, mudando essa regência de pessoa para pessoa, cada um tendo combinações energéticas diferentes, tornando cada ser único.

Cada Orixá rege a personalidade dos seres dando qualidades e vocações, cada uma de forma diferente dependendo da posição que ocupam nos Chakras.

Uma pessoa regida por Oxalá como principal em seu centro de energia coronário tem vocação para as coisas da Fé além de terem outras qualidades como um jeito de ser diferente de quem é regido por outras divindades.

As outras divindades também regem o centro de energia da coroa, só que de forma menos influente.

Cada vocação que temos tem origem nas divindades que regem nossos chakras.

Uma formiga tem uma função no formigueiro que tem haver com sua regência pessoal, e a faz de forma instintiva sem a racionalização que o humano tem para desempenhar um papel, como receber aprendizado.

Todos os centros de energia na parte de frente ou de traz tem todas regências diferentes.

Como é regência dos insetos, vírus, células, eu não sei, aqui só comparamos os humanos com seres de menor evolução.