Manipulações no Poder na Religião Evangélica

Por: Ricardo Chioro

Existem evangélicos honestos que não buscam o poder, não vamos falar deles, vamos falar dos que manipulam.

Os Evangélicos dizem que só a religião deles é de Deus, as outras são do demônio, incluindo o Judaísmo e o Catolicismo.

Agora veja bem, Jesus não era evangélico, ele era Judeu, na época do Cristo não existia a religião protestante.

A primeira religião Cristã que surgiu foi o Catolicismo, ela que determinou quais Evangelhos fariam parte da Bíblia, pois existem muitos evangelhos, que são os livros escritos pelos seguidores de Jesus, apesar de existirem 12 apóstolos, o Catolicismo só incluiu o livro de cinco deles: Pedro, Mateus, Marcos, João e Lucas.

Muitos Evangelhos foram deixados de lado, escolha do Catolicismo.

Existe o Evangelho de Nossa Senhora, Maria Madalena, entre muitos outros.

Também adotaram a tradição de não recomendar a pratica dos pecados, o conhecimento sobre os pecados mortais e capitais.

A religião evangélica surgiu como uma reforma do Catolicismo, pegando de muita coisa existente nele (toda edição feita pelo Catolicismo da Biblia, o conhecimento dos sete pecados e dos pecado mortais e etc.) e refutando algumas coisas.

A pergunta que eu faço é:

-Se Catolicismo é do Demônio porque pegar tanta coisa existente nele para fazer a sua religião?

Outra pergunta que faço:

-É recomendado pegar o que o demônio tenha feito?

Na verdade essa história de demonizar (dar a característica de Demônio) o Catolicismo, o Judaísmo e todas outras religiões se trata de uma manipulação para conseguir dinheiro.

O fiel evangélico dá 10% do seu salário para a igreja, se ele achar que a crença do outro é maligna não vai mudar, e a igreja sempre vai contar com os dez por cento do fiel, além do que ele der a mais.

Nas igrejas protestantes o pastor fala para o fiel ter o que deseja deve doar dinheiro para “Deus” (igreja) ou converter outras pessoas ao evangelismo. Comumente é muito indireta essas afirmações, ficam encobertas por outras palavras que sugerem que o fiel deva doar dinheiro ou conseguir conversões para ter o que quer, assim afastam um pouco o risco de processos que podem ter.

Quando o fiel tanta converter alguém quase sempre vai sugerir a igreja que freqüenta, fazendo a entidade religiosa obter mais 10% do salário de outra pessoa.

Se o outro que freqüenta outra religião tentar convencê-lo sempre vai estar errado, porque na visão trazida pelos pastores é sempre o demônio tentando convencê-los, então nunca vale a pena dar ouvidos, assim a manipulação ocorre, trazendo mais dinheiro.

Além do que nessa crença quando é manipuladora o fiel tem que dar algo para a Igreja para obter o que quer.

Eles dizem que você tem que dar para Deus, para Deus te dar de volta, assim dão dinheiro a Igreja como se entregassem para o próprio criador de tudo, é assim que funciona.

Veja bem, Deus sendo onipotente, ou seja: tudo o que ele quer acontece, pode fazer qualquer coisa, afinal criou o mundo todo, todo o universo e etc. precisa de dinheiro para que?

Vamos supor que Deus queira morar em uma mansão, ele sendo onipotente pode criar essa mansão, não precisa comprá-la. 

Está na Bíblia que Deus é onipotente.

Muitas pessoas fazem campanha para não dar dinheiro aos pastores, e sim doar aos pobres.

Um outra estratégia de condenação de todas as outras religiões é acusa-las de trazerem o mal, então quando uma pessoa de outra fé tem um problema sério de saúde, físico, psicológico ou monetário é acusa-las de estarem nessa situação por terem outra orientação espiritual.

Se um Espirita tem câncer, falam que isso ocorreu porque é espirita, se for um católico, dizem que é porque é católico, se for um budista, é porque é budista, mas quando essa doença ocorre com um evangélico não dizem isso!

Quando ocorre algo ruim com o protestante não existe a condenação de sua fé!

Isso ocorre devido a uma estratégia de manipulação para criar o medo das outras religiões, criam o medo, e afastam do que consideram concorrentes.

Mas não é só religiões que o protestantismo condena, o ateísmo também, sendo também coisa do demônio para eles, o que acaba gerando o pensamento de tudo o que não é evangélico é do mal.

Com esse pensamento os pastores acabam afastando os fiéis de tudo que não é sua religião, podendo ser a única fonte de influencia de crença, tendo domínio muito grande dos crentes.

Como o numero de crentes cresce cada vez mais porque é muito lucrativo, e a igreja pode investir em propaganda, gerando mais fiéis e mais lucro a religião cresce demais. Com isso não são os protestantes honestos que crescem, mas sim os manipuladores.

Baseado nisso surgem políticos Evangélicos que para os crentes só por terem a sua religião já são os mais indicados, bons, não são do demônio e sim do bem, sendo assim não precisam apresentar bons projetos, serem bons políticos, pois eles já tem o voto deles garantido, não precisam fazer um bom trabalho.

Para o fiel esse tipo de político vai fazer a vontade de Deus. Só que a realidade não é essa, é só vermos as noticias sobre corrupção.

Nós estamos falando apenas do protestantismo onde ocorre a manipulação, não do que faz as coisas honestamente, os que agem correto tem que continuar agindo com boas intenções, assim como qualquer religião que age direito.